sexta-feira, setembro 03, 2010

Promoção Pé de Banana

Olá gurias,

Eu já postei meu comentário lá no Blog da loja Pé de Banana...e você? Não deixe para a última hora, hoje é o último dia!

Bjobjo

sábado, julho 31, 2010

O que gosto de fazer?

Dormir!
Brincar!
Brincar!
Dormir!

Meu pai

Esse é o Boby, pai do filhote a venda.
Ele veio do banho ontem por isso esta com esse lacinho!


Vende-se filhote de Shih Tzu

video


Fone 53.8416-9994

Tenho muita energia

video

É muito bom ter um filhote em casa...ele traz alegria!!

sexta-feira, julho 30, 2010

Minha mãe

Essa é a mãe do filhote. Foi super carinhosa,
cuidou e amamentou ele o tempo todo, filho único sabe como é sempre bem mimado.

http://www.youtube.com/cyssaviana?gl=BR&hl=pt#p/a/u/0/kTNPK9_Op6k

(Venha ver um video da KIKA, click no link a cima)
















Essa é a Kika...

sexta-feira, julho 23, 2010

Filhote de ShihTzu

"Estou a procurando de uma família!"
Vende-se lindo filhote de ShihTzu.
Ligue: 53.9956-6761 ou 53.8416-9994.


Nasci no dia do último jogo do Brasil na copa, dia 28 de Julho de 2010.

segunda-feira, junho 14, 2010

Os Quatros Fantasmas

Leiga, totalmente leiga em psicanálise, é o que eu sou. Mas interessada como se dela dependesse minha sobrevivência. Para saciar essa minha curiosidade, costumo ler alguns livros sobre o assunto, e outro dia, envolvida por um texto instigante - acho que da Viviane Mosé, que já foi mencionada nesta página anteriormente - me deparei com as quatro principais questões que assombram nossas vidas e que determinam nossa sanidade mental. São elas:
1) Sabemos que vamos morrer.
2) Somos livres para viver como desejamos.
3) Nossa solidão é intrínseca.
4) A vida não tem sentido.
Basicamente, isso. Nossas maiores angústias e dificuldades advêm da maneira como lidamos com nossa finitude, com nossa liberdade, com nossa solidão e com a gratuidade da vida. Sábio é aquele que, diante dessas quatro verdades, não se desespera.
Realmente, não são questões fáceis. A consciência de que vamos morrer talvez seja a mais desestabilizadora, mas costumamos pensar nisso apenas quando há uma ameaça concreta: o diagnóstico de uma doença ou o avanço da idade. As outras perturbações são mais corriqueiras. Somos livres para escolher o que fazer de nossas vidas, e isso é amedrontador, pois coloca responsabilidade em nossas mãos. A solidão assusta, mas sabemos que há como conviver com ela: basta que a gente dê conteúdo à nossa existência, que tenhamos uma vontade incessante de aprender, de saber, de se autoconhecer. Quanto à gratuidade da vida, alguns resolvem com religião, outros com bom humor e humildade. O que estamos fazendo aqui? Estamos todos de passagem. Portanto, não aborreça os outros e nem a si próprio, trade de fazer o bem e de se divertir, que já é um grande projeto pessoal. Volto a destacar: bom humor e humildade são essenciais para ficarmos em paz. Os arrogantes são os que menos conseguem conviver com a finitude, a liberdade, com a solidão e com a falta de sentido da vida. Eles se julgam imortais, eles querem ditar as regras para os outros, eles recusam o silêncio e não vivem sem os aplausos e holofotes, dos quais são patéticos dependentes. A arrogância e a falta de humor conduzem muita gente a um sofrimento que poderia ser bastante minimizado: bastaria que eles tivessem mais tolerância diante das incertezas.
Tudo é incerto, a começar pelo dia e a hora da nossa morte. Incerto é o nosso destino, pois, por mais que façamos escolhas, elas só se mostrarão acertadas ou desastrosas lá adiante, na hora do balanço final. Incertos são nossos amores, e por isso é tão importante sentir-se bem mesmo estando só. Enfim, incerta é a vida e tudo o que ela comporta. Somos aprendizes, somos novatos, mas beneficiários de uma dádiva: nascemos. Tivemos a chance de existir. De se relacionar. De fazer tentativas. O sentido disso tudo? Fazer parte. Simplesmente fazer parte.
Muitos têm uma dificuldade tremenda em aceitar essa transitoriedade. Por isso a psicoterapia é tão benéfica. Ela estende a mão e ajuda a domar nosso medo. Só convivendo com esses quatro fantasmas - finitude, liberdade, solidão e falta de sentido da vida - é que conseguiremos aravessar os dias de forma mais alegre e desassombrada.
"Martha Medeiros"

quinta-feira, maio 13, 2010

PARA QUE SERVE UM AMIGO?


Pra tanta coisa... Não é?
Pra racha a gasolina, emprestar a prancha, recomendar um CD, dar carona para festa, passar cola, caminhar no shopping, segurar a barra.
Todas as alternativas estão corretas, porém isso não basta para guardar um amigo do lado esquerdo do peito.
A amizade é indispensável para o bom funcionamento da memória e para a integridade do próprio eu.
Um amigo não racha apenas a gasolina:
Racham lembranças, crises de choro, experiências.
Racha a culpa, racha segredos.
Um amigo não empresta apenas a prancha.
Empresta o verbo, empresta o ombro, empresta o tempo, empresta o calor e a jaqueta.
Um amigo não recomenda apenas um CD.
Recomenda cautela, recomenda um emprego, recomenda um país.
Um amigo não dá carona apenas para festa.
Te leva para o mundo dele e topa conhecer o teu.
Um amigo não passa apenas cola.
Passa contigo um aperto, passa junto o reveillon.
Um amigo não caminha apenas no shopping.
Anda em silêncio na dor, entra contigo em campo, sai do fracasso ao teu lado.
Um amigo não segura a barra, apenas.
Segura a mão, a ausência, segura uma confissão, segura o tranco, o palavrão, segura o elevador.
Duas dúzias de amigos assim ninguém tem.
Se tiver um, amém!

Créditos:
>>BARTHD2
>>www.recantosdasletras.uol.com.br/autores/barth

quarta-feira, maio 12, 2010

Em busca da liberdade


"...o meu conselho é que crie asas e voe..."
Bem que eu gostaria que fosse tão fácil assim. Arrumar as malas, coloca-las nas costas e sair por ai...para olhar a vida com outros olhos, para conquistar aquilo que não vou conseguir se ficar no mesmo lugar sempre - o raio não cai duas vezes no mesmo lugar. Parece fácil, e como parece, quando é com os outros. Qual será o segredo? Ser atrevido, ser irracionál ou ser corajoso?
Sou uma mulher, uma menina ou uma senhora idosa? Não sei meu corpo parece novo e minha alma velha, olho no espelho e não reconheco o que vejo. O que sinto é diferente do que vivo. Mas por que parece tão dificil? Será que se eu fosse homem tudo seria diferente, mais "fácil"?
Gostaria as vezes de não ter o poder de pensar. Pensar de mais é ruim, sonhar então pior ainda! So poderia ter o poder de pensar e sonhar quem tivesse também o poder de agir. Para que pensar se não tem coragem de agir?
Sei que me sinto presa à minha vida, a essa rotina, a esse dia-a-dia. Parece que estou limitada ao que tenho, ao que sou. Não tenho medo da dificiladade, mas porque não agir então? Falta estimo, falta vontade? O que falta então?